BIOGRAFIA

Nino [João Cosmo Felix]

1920, Juazeiro do Norte | CE - Brasil 

2002, Juazeiro do Norte | CE - Brasil

Cortou cana-de-açúcar e trabalhou como ferreiro antes de dedicar-se à escultura em madeira. Começou sua arte fazendo brinquedos. Analfabeto, viveu em Juazeiro do Norte (CE) com a esposa, Perpétua Cecília da Conceição, até a morte. Sua obra integra importantes coleções públicas e privadas no Brasil e no exterior. Em 1974 fazia animais de madeira assombradamente pintados de marrom e laivos de negro e branco, cuja dimensão maior não excedia em geral 70 cm. As caudas, feitas de imburana de cambão ou timbaúba, eram acrescentadas aos bichos esculpidos. Na década de 1980 dá-se o grande salto de Nino para uma escultura de dimensão maior, que pode ultrapassar 1m de altura.

No monobloco de madeira, Nino passa a integrar à forma magistral uma nova invenção da cor. Pássaros, elefantes, bois, macacos, cenas de rituais como casamentos e reisados são esculpidos em alto-relevo ou recortados na parte superior do bloco original, que recebe uma pintura em que certas cores - rosas, azuis, vermelhos, verdes, amarelos -, temperadas e regidas por Nino, constituem-se em uma extraordinária galeria de estelas do sertão. Aí, a força do simbólico se equivale à mestria do olho e da mão, arvoredo do sonho onde a natureza e cultura perfazem um encontro único, à altura da melhor criação contemporânea do século XX. Já expôs individualmente no Rio de Janeiro. Trabalhos seus integraram com destaque a exposição internacional "Brésil, Arts Populaires" (Grand Palais, Paris, 1987), bem como a "Mostra do Redescobrimento" (Fundação Bienal de São Paulo, 2000). Suas obras constam em grandes museus de arte popular do país.

Fonte: Pequeno Dicionário do Povo Brasileiro, século XX | Lélia Coelho Frota – Aeroplano, 2005

CV

Exposições Individuais:


2016 Nino, Galeria Estação, São Paulo, SP, Brasil


2001 Nino, o essencial em estado bruto, Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil


 


Exposições Coletivas:


2019 Exposición Lina Bo Bardi Tupí or not tupí ?, Fundación Juan March, Madrid, Espanha


2014 Quase figura, quase forma, Galeria Estação, São Paulo, SP, Brasil


2012 Histoires de Voir - Show and Tell, Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, Paris, França


2012 Janete Costa “Um Olhar”, Museus Janete Costa, Niterói, RJ, Brasil


2012 4 Artista Espontâneos, Museu Afro Brasil, São Paulo, SP, Brasil


2011 O Brasil na Arte Popular - Acervo Museu Casa do Pontal, Brasília, DF, Brasil


2008-2009 Exposição Imaginário do Povo Brasileiro, Restaurante Antiquarius, São Paulo, SP, Brasil


2007 Do tamanho do Brasil - Mostra de Arte Popular, SESC Paulista, São Paulo, SP, Brasil


2006-2007 Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro, Museu Afro Brasil, São Paulo, SP, Brasil


2006 SOMOS - a criação popular brasileira, Centro Cultural Santander, Porto Alegre, RS, Brasil


2006 Brasil Imaginário, Galeria Estação, São Paulo, SP, Brasil


2004-2005 Forma, Cor e Expressão: uma coleção de arte brasileira, Galeria Estação, São Paulo, SP, Brasil


2004 Bienal Naifs do Brasil, SESC, São Paulo, SP, Brasil


2002 Pop Brasil: a arte popular e o popular na arte, Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB, São Paulo, SP, Brasil


2001 Expressão Popular, Centro Cultural Light, Rio de Janeiro, RJ, Brasil


1998 Jangrada, Museu Histórico do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil


1995-1996 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário negro, Centro Cultural de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG, Brasil


1994-1995 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário negro, Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil


1994 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário, Espaço Cultural SOS Sul, Curitiba, PR, Brasil


1992 Brasilien: Entdeckung und Selbstentdeckung, Kunsthaus Zürich, Zürich, Suíça


1992 Viva o Povo Brasileiro | Artesanato e arte popular, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil


 


Coleções Públicas:


Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, Paris, França


 


Publicações Selecionadas:


2018 Arte Popular Brasileira: olhares contemporâneos, Vilma Eid e Germana Monte-Mór, Editora WMF Martins Fontes, São Paulo, SP, Brasil


2016 NINO, Vilma Eid e André Parente, Lis Gráfica, São Paulo, SP, Brasil


2014 Quase figura, quase forma, Vilma Eid, Socorro de Andrade Lima e Lorenzo Mammì, Lis Gráfica, São Paulo, SP, Brasil


2012 Histoires de Voir - Show and Tell, Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, Editoriale Bortolazzi-Stei, Paris, França


2012 Janete Costa “ Um Olhar”, Mario Santos Lis Gráfica, São Paulo, SP, Brasil


2007 Do tamanho do Brasil - Mostra de arte popular, SESC Paulista, São Paulo, SP, Brasil


2006 Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro, Museu Afro, São Paulo, SP, Brasil


2004 Bienal Naifs do Brasil, SESC SP, São Paulo, SP, Brasil


2001 Nino | o essencial em estado bruto, Emanoel Araujo, Pinacoteca de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil


1995 Os Herdeiros da Noite, Centro de cultura de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG, Brasil


1992 Catalogo Viva o Povo Brasileiro | Artesanato e arte popular, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

EXPOSIÇÕES

encerrado

SP Arte 2017

05.04.2017 - 09.04.2017
encerrado

SP Arte 2015

09.04.2015 - 12.04.2015
encerrado

SP Arte 2018

11.04.2018 - 15.04.2018
encerrado
são paulo

Nino

15.03.2016 - 30.04.2016
encerrado

Histoires de Voir – Show and Tell | 2012

15.05.2012 - 21.10.2012
encerrado
são paulo

Janete Costa: Um Olhar

16.12.2012 - 31.03.2013
encerrado
são paulo

Quase figura, quase forma

21.08.2014 - 10.10.2014
encerrado

ArtRio 2018

27.09.2018 - 30.09.2018
encerrado
rio de janeiro

ArtRio 2016

29.09.2016 - 02.10.2016

VIDEOS

Documentário NINO
Documentário do artista João Cosmo Felix ( Nino )...
Documentário
Conversa em torno da exposição NINO
A Galeria Estação convida para um bate-papo em torno da exposição NINO, com o curador André Parente ...
Bate-Papo