BIOGRAFIA

Nhô Caboclo [Manoel Fontoura]

1910, Águas Belas | PE - Brasil

1976, Refice | PE - Brasil

Nascido por volta da primeira década do século XX, Nhô Caboclo é um artista de extraordinária importância, cuja obra exige com urgência um tratamento monográfico. Talvez integrasse de início a comunidade dos Fulniô, índios aculturados de Águas Belas, Pernambuco, mas fez sempre grande mistério sobre suas origens e filiação: “Não conheci ninguém, nasci só.” Mestiço, de aparência cafuza, cresceu numa fazenda em Garanhuns. Desde menino, fazia objetos de barro e dos mais inusitados materiais, como a barba-de-bode e mandioca linheira. Anos mais tarde, dá notícia de si em Caruaru, “tirando peça de barro com Vitalino”. Mas a sua grande produção foi feita à base de madeira e folha-de-flandres.

Declarava as peças de barro “mortas”, porque “não se faz um lutador de espada de barro, não se faz uma engenhoca, engrenagem a vapor pra trabalhar no vento. Gosto de peça que bula, peça valente, peça braba. Peça manual”. Nhô Caboclo começou a fazer peças manuais, isto é, com movimento, quando “assonhava uma engrenagem ou ia ao cinema”. Sucessivamente flandieiro (funileiro), sapateiro, carpinteiro, ferreiro, Nhô Caboclo, segundo suas próprias palavras, povoou suas peças do caboclo Urubu (”um caboclo que nunca foi dominado”), do nego Tuim (”só tem dessa marca em Pedra do Buíque de Delmiro Gouveia”), dos caciques Jabu (”são das selvas”), de segundos-tenentes, cabos, sargentos, capitães, de caboclos quatro-braços (”tem deles no mato, no estrangeiro, tanto faz correr em pé como em quatro pés”).

“Tudo que eu faço tem história, história.”

Fonte: Pequeno Dicionário do Povo Brasileiro, século XX | Lélia Coelho Frota – Aeroplano, 2005

CV

Exposições Coletivas:


2013 Janete Costa “Um olhar”, Museu Janete Costa, Niterói, RJ, Brasil


2011 Máquinas Poéticas, Museu Casa do Pontal, Rio de Janeiro, RJ, Brasil


2010 Casa Cor - Ugo di Pace, Joquey Clube, São Paulo, SP, Brasil


2008 Imaginário do Povo Brasileiro, Restaurante Antiquarius, São Paulo, SP, Brasil


2006-2007 Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro, Museu Afro Brasil, São Paulo, SP, Brasil


2006 SOMOS – a criação popular brasileira, Centro Cultural Santander, Porto Alegre, RS, Brasil


2004-2005 Forma, Cor e Expressão: uma coleção de arte brasileira, Galeria Estação, São Paulo, SP, Brasil


2002 Pop Brasil: a arte popular e o popular na arte, Centro Cultural Banco do Brasil, São Paulo, SP, Brasil


1995-1996 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário negro, Centro Cultural de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG, Brasil


1994-1995 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário negro, Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil


1994 Os Herdeiros da Noite: fragmentos do imaginário, Espaço Cultural SOS Sul, Brasília, DF, Brasil


1992 Brasilien: Entdeckung und Selbstentdeckung, Kunsthaus Zurich, Zurich, Suiça


 


Publicações Selecionadas:


2012 Janete Costa “Um Olhar”, Mario Santos, Lis Gráfica, São Paulo, SP, Brasil


2010 Catálogo Soraya Cals, Rio de Janeiro, RJ, Brasil


2006 Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro, Emanoel Araujo, Museo Afro, São Paulo, SP, Brasil

EXPOSIÇÕES

encerrado
são paulo

Janete Costa: Um Olhar

16.12.2012 - 31.03.2013

VIDEOS

Nhô Caboclo e o elo perdido
Nhô Caboclo e o elo perdido Filme – 2002...
Documentário